Artigos

Transporte de bebidas de médio e grande porte: como fazer da maneira correta

O Brasil é um dos países que mais consomem cerveja no mundo. Segundo um estudo do Deutsche Bank, de 2018, bebemos em média de 6 litros de cerveja por mês, ou seja, 14% do salário mínimo é deixando em bares. Em comparação, os brasileiros consomem apenas 0,14 litro de vinho por mês.

Apesar das mudanças que o setor passou nos últimos anos, muito por causa da mudança de hábitos alimentares dos brasileiros, a indústria de bebidas produz bilhões de litros de bebidas alcoólicas e não alcoólicas por ano. Por ser um setor extremamente rentável, todo cuidado com a logística na hora de fazer o transporte de bebidas deve ser tomado para evitar prejuízos.

Por isso desenvolvemos este post para explicar todos os cuidados que devem ser tomados para o deslocamento desse tipo de mercadoria e como fazer o carregamento de acordo com o tipo de embalagem do produto. Acompanhe a leitura!

O que observar na hora do transporte de bebidas?

Antes de qualquer coisa, é preciso observar quais as dificuldades e regras que cada etapa do transporte exige. Ao seguir as próximas dicas é possível melhorar o faturamento e os processos da empresa de bebidas.

Embalagem

Antes de todo carregamento, é preciso ter certeza de que os produtos estão corretamente embalados, seguros e em bom estado. Após essa verificação, eles podem ser colocados nos paletes para serem enviados. Não existe a quantidade certa para o empilhamento de material, mas a recomendação é que a pilha não passe a altura de 1,80 metro e o peso de 1.000 kg.

O responsável por essa etapa também deve ficar atento à disposição das caixas no palete. Elas devem ser organizadas da mais pesada para a mais leve e dispostas de forma alternada, como a estrutura de uma parede. Isso aumenta a resistência do unitizador com a superfície da carroceria e reduz a movimentação da carga no caminhão.

Preservação

Transportar bebidas exige um cuidado maior tanto do caminhoneiro quanto dos fabricantes do produto. Para manter a preservação das bebidas é preciso atentar a fragilidade da carga e como elas podem ficar mais protegidas durante a viagem. Certifique-se de que o caminhão não possui sujeiras, peças sobressalentes que podem danificar as embalagens e se está em boas condições.

Cada bebida exige um cuidado diferente. As latas podem estourar se sofrerem muitas vibrações durante a viagem; os vinhos exigem que o transporte na vertical; já os demais líquidos em garrafas de vidro devem ser colocados de cabeça para baixo, evitando a contaminação por algum vetor.

Carroceria

A carroceria indicada para o transporte de bebidas é o modelo Sider. Como possui uma abertura lateral, ele facilita a carga e a descarga dos produtos em qualquer situação, seja com empilhadeira, seja sem. Além de garantir uma boa circulação de ar e vedação que evita a poeira e o fenômeno chamado “suor de carga”, causado pelo vapor d’água que veio por meio da umidade. 

Organização

A organização dos paletes dentro do caminhão terá impacto direto no armazenamento do produto no destino. Como existe um tempo para o consumo das bebidas, o aconselhável é posicioná-los de acordo com o tempo de estocagem, dos que estão há mais tempo no estoque para os que estão há menos tempo. Essa ordem deverá ser usada também no desembarque. 

Devemos levar em consideração o excesso de peso em um ponto do caminhão. Se não estiver bem equilibrado, o centro gravitacional do caminhão muda de direção, o que deixa o veículo perigoso e causa acidentes durante a viagem. Hoje existem tecnologias que ajudam a medir e dispor as cargas de acordo com o peso.

Rota

O principal ponto que devemos observar é a logística de entrega. Esse tipo de carga não é fácil de ser deslocada, e todo o carregamento deve ser pensado com base na rota desenvolvida. Qual o caminho mais rápido até o último local de entrega passando por outros destinos?

Para responder essa pergunta, todo o trajeto pode ser estudado para localizar estradas ou ruas mais seguras, menos esburacadas e como posicionar as mercadorias para não interferir no equilíbrio do caminhão. Hoje em dia, usando tecnologia na logística, é possível fazer todo esse levantamento sem o risco de errar nenhum cálculo.

Como armazenar as bebidas?

Cada tipo de embalagem precisa de um cuidado especial por causa das suas propriedades. Devemos levar em conta o tamanho das embalagens, o espaço entre elas e os riscos de danos que elas podem sofrer durante o trajeto. Porém, quando se trata de bebidas, é comum vermos apenas esses três tipos.

Vidro

O vidro é a carga mais frágil que pode ser transportada nesse setor. Todo cuidado deve ser tomado para evitar que ele quebre e gere prejuízos. Para transportar esse tipo de garrafa é preciso certificar-se de que o produto não ficará solto dentro da embalagem. Caso detecte que haverá essa falha, é importante que cubra os espaços com papel, plástico bolha, isopor etc. 

Esses vazios, além de facilitar a quebra por causa dos impactos do caminhão, também podem gerar atrito entre as garrafas e enfraquecer a estrutura do vidro. Nesses casos, coloque divisórias firmes para corrigir esse problema. A empresa também não deve se esquecer de identificar a carga com o adesivo ‘frágil’.

Plástico

Apesar de ser um dos mais tranquilos de ser transportado, o plástico tem alguns pontos que devem ser observados durante a locomoção. O material é muito sensível ao calor e precisa de um cuidado maior para evitar que perca a qualidade da garrafa. A carroceria precisa ter uma boa ventilação e, ao mesmo tempo, ser vedada para evitar poeira e umidade. 

A vedação é importante para que a garrafa não perca o brilho. O plástico também não é resistente à poeira, e qualquer coisa pode afetar a qualidade da embalagem. Por isso, antes de colocar a carga, é preciso verificar se o caminhão está limpo e se não há materiais que possam arranhar e contaminar o produto.

Alumínio

As latas de alumínio são as mais indicadas para grandes deslocamentos. A capacidade de bloquear a luz no produto aumenta a resistência da bebida à temperatura e permite que ela fique mais tempo armazenada; porém, é preciso tomar cuidado com a umidade. Ela pode gerar oxidação na embalagem e contaminar a bebida.

As latas também devem ser colocadas de uma forma ordenada e serem bem presas na carroceria. Qualquer lata estufada deve ser descartada antes de chegar no consumidor final. Apesar de ser bem lacrada, o estufamento pode ser resultado da multiplicação de micro-organismos que aumentam a produção de gases, o que é altamente tóxico. 

Qual o tempo ideal entre a produção e a distribuição?

Toda bebida, se bem conservada, não estraga. Mas tudo depende do tipo do produto que está armazenado e qual tipo de embalagem. Por exemplo, a maioria das bebidas destiladas guardadas em vidro e os vinhos costumam ter um período indeterminado. Isso ocorre pois a quantidade de álcool nessas garrafas impede o crescimento de bactérias.

Já as cervejas mantêm 100% da sua qualidade nos seis primeiros meses. Após esse período, elas começam a perder suas propriedades e se modificam. Os refrigerantes e sucos têm prazo médio de 180 dias para os armazenados em lata, e 60 dias para os armazenados em pet. A recomendação é que essas bebidas cheguem na casa do consumidor em um prazo máximo de 40 dias antes da data limite.

Para ter a certeza de que o seu carregamento está sendo bem transportado e chegará a tempo, é preciso garantir que ele esteja bem disposto nos caminhões, com as proteções necessárias e, principalmente, saber há quanto tempo está parado no estoque. É possível garantir esses cuidados em suas viagens ao realizá-las por caminhoneiros autônomos, por meio do aplicativo Cargo X. 

Pelo sistema, é possível encontrar os motoristas que mais se adéquam à sua necessidade e ter a garantia de que as bebidas chegarão com qualidade e preservadas no destino. Para saber mais como a Cargo X pode ser útil no transporte de bebidas, entre em contato conosco e conheça mais sobre essa solução.

Artigos relacionados

Mais
As-consequências-da-crise-para-o-mercado-de-transporte-de-cargas-rodoviário

As consequências da crise para o mercado de transporte de cargas rodoviário

* Por Federico Vega Os altos custos do transporte e a falta de acesso ao capital são responsáveis pela perda […]

Categoria: Artigos
Mais

Entenda como a Cargo X cresceu 750% em um ano

Desde 2016 no mercado, a Cargo X foi criada em São Paulo depois que Federico Vega, fundador, fez algumas viagens […]

Categoria: Artigos
Mais

Cuidados com o caminhão: 7 ações para preservar o seu

Para manter seu caminhão preservado, convém tomar alguns cuidados relacionados à sua limpeza e manutenção. Se o veículo não recebe […]

Categoria: Artigos
Estamos ajudando milhares de profissionais de transporte com nossos conteúdos. Inscreva-se também

Estamos ajudando milhares de profissionais de transporte com nossos conteúdos. Inscreva-se também