Novidade: Cargo X oferecerá capital de giro a partir de R$ 100 milhões para transportadoras do agronegócio

Artigos

Escrito por Ana Beatriz

Data: 01/07/2019

Ainda em 2019, a Cargo X irá oferecer capital de giro de R$ 100 milhões para transportadoras e, até o final de 2020, a expectativa é que empresa aplique até R$ 300 milhões. O objetivo é beneficiar transportadoras com foco no agronegócio de todos os tamanhos para que elas possam ter capital suficiente para manter e expandir suas operações. 

“O agronegócio é muito importante para o País e requer uma logística cada vez mais eficiente. Aliando o aporte financeiro à tecnologia que já oferecemos, acredito estarmos contribuindo muito com o setor”, explica Federico Vega, CEO da Cargo X. De acordo com o CEPEA – Centro de Estudos de Economia Aplicada da USP, o agronegócio representa a maior parcela do PIB brasileiro.

“Cerca de 95% das transportadoras no Brasil são de pequeno e médio porte. Queremos que elas tenham capital de giro para expandir suas operações, gerando renda e emprego no mercado”, afirma Vega. “Além de capital, oferecemos tecnologia às transportadoras para gestão do frete, tornando o setor mais eficaz e otimizado”, afirma Vega.

O aporte já começou a ser implementado e, até o momento, R$ 7 milhões foram investidos em pequenas transportadoras. O administrador Abel Crivelaro Júnior, Diretor da Transportadora Rodogrãos, foi um dos  beneficiados. “Antes, eu não tinha capital suficiente para atender a algumas demandas de clientes. A parceria com a Cargo X foi, simplesmente, uma revolução no nosso negócio. Com o capital de giro, eu consigo pagar o motorista à vista e, consequentemente, os motoristas preferem embarcar conosco. Além disso, a quantidade de carregamentos aumentou em 40% e o faturamento, 30%”, explica o administrador.

Para isso acontecer, a startup reestruturou todas as suas operações no agronegócio, que agora passa a operar de maneira mais otimizada e focada nas transportadoras do setor.

Diante dessa reestruturação, a Cargo X anuncia o fechamento das unidades de transporte, focadas no atendimento ao setor agro, localizadas nos estados de Goiás, Mato Grosso, Pará e Paraná. “Em contrapartida, a empresa abriu, apenas em 2019, mais 100 vagas de emprego em áreas como Tecnologia, Produto, Machine Learning, Business Intelligence, Vendas, Operações e áreas Administrativas”, explica Vega.

Compartilhe: