CargoX completa seis meses de operação com crescimento médio de 57% ao mês

Escrito por Ana Beatriz

Data: 01/09/2016

Expectativa da companhia é fechar o ano com o faturamento de R$ 48 milhões e crescimento de 40% em 2017  

 São Paulo, setembro de 2016 – Lançada em março deste ano, a CargoX  transportadora  considerada a  “ Uber do transporte de cargas” – completou seis meses de operação com o crescimento médio de 57% ao mês e três mil embarques realizados. A empresa já soma aproximadamente 100 mil caminhoneiros autônomos cadastrados e espera encerrar o primeiro ano de atuação com faturamento de R$ 48 milhões, com margem de lucro líquida de 5%.

De acordo com dados não oficiais, o Brasil tem uma frota excedente de cerca de 350 mil veículos (35%), o que gera mais de 30% de viagens de caçambas vazias. Segundo dados internos da CargoX, em 2015 , cerca de 12 bilhões de quilômetros foram percorridos por caminhões vazios, o suficiente para dar a volta ao mundo 300 mil vezes. Aproveitando essa oportunidade de mercado, a companhia consegue cruzar informações geradas, por meio de tecnologia Big Data e otimizar as rotas para baratear em até 30% o valor dos fretes para os embarcadores, . além de gerar mais envios e renda para os trabalhadores de frete sem emprego fixo.

Para Federico Vega, CEO da CargoX, o setor do transporte de cargas tem um potencial bilionário no país e é uma indústria tradicional que precisa de inovação e modernidade. “O setor de fretes no Brasil está defasado e, com a tecnologia podemos criar empresas eficientes de modelo de negócio de baixo investimento e com retorno alto. Seguimos essa premissa para criar a CargoX”, afirma.

 A primeira transportadora do país sem frota própria tem atraído o interesse de investidores de peso, como o co-fundador da Uber, Oscar Salazar, o banco de investimentos Goldman Sachs, a Valor Capital Group, empresários e companhias do setor de logística como, Eddie Leshin, que atuou como diretor da C.H. Robinson e foi COO da Coyote Logistics – ambas somam um faturamento de mais de R$ 56 bilhões por ano -, e o americano Hans Hickler, ex-CEO da DHL Express. Recentemente, entrou para o time o fundador da Dafiti, Thibau Lecuyer. A expectativa é que em dois anos o investimento chegue a R$ 100 milhões.

 A empresa tem registrado um crescimento contínuo e para garantir a qualidade e agilidade dos embarques oferecidos, nos últimos dois meses,  foram criadas mais de 120 vagas para todas as áreas em São Paulo, além da abertura de escritórios em locais estratégicos, como no estado  de Mato Grosso, em agosto. “O nosso objetivo é abrir mais 04 até o fim do ano, para gerar mais embarques em locais de muita demanda. Pretendemos fazer carregamentos de container muito em breve também”, complementa  Federico Vega.

 A meta da CargoX para 2017 é alcançar 40% de crescimento. Para isso, também estão nos planos da empresa a aquisição de  pequenas concorrentes do setor de transporte de cargas e abrir mais filiais em todos estados.