Gastos e custos logísticos: entenda as principais diferenças

Artigos

gastos e custos logísticos

Escrito por Ana Beatriz

Data: 27/08/2018

Você sabe a diferença entre gastos e custos logísticos? Tem conhecimento sobre os seus pilares e como calculá-los? Para profissionais que não estão habituados a lidar diretamente com assuntos contábeis, pode ser um tanto quanto confuso diferenciar os termos “custos” e “gastos”.

Mas cuidado! Ambos são muito importantes para uma correta gestão de recursos, evitando a aplicação de capital em operações em que é desnecessário e a falta de investimento em operações deficitárias.

Além disso, o número de processos envolvidos nas atividades logísticas é muito grande. A ABML — Associação Brasileira de Movimentação e Logística — estima que o custo logístico de uma empresa pode chegar a 19% do faturamento total.

Assim, neste texto vamos desenvolver um comparativo, explicando o conceito de gastos e custos no contexto da logística de transportes, como eles funcionam, quais são os seus pilares e como calculá-los. Está pronto? Então vamos prosseguir!

Conheça os gastos do seu negócio

Os gastos nada mais são que os valores que mantêm o empreendimento funcionando. São considerados gastos qualquer valor monetário aplicado para a produção de bens ou serviços – os custos, os investimentos e as despesas —, em outras palavras, são movimentações financeiras e, em alguns casos, podem envolver ativos da empresa. Existem os gastos fixos e os gastos variáveis.

Gastos Fixos

São aqueles que você sabe que estarão ali todo mês, ou seja, não variam, estando a empresa em funcionamento ou não. Exemplos de gastos fixos:

  • aluguel do estabelecimento;
  • salário e tarifas (ex.: FGTS, INSS) dos profissionais envolvidos;
  • depreciação de veículos e equipamentos;
  • seguro e
  • impostos como IPVA, DPVAT e Taxa de Licenciamento.

Gastos Variáveis

Esses estão diretamente ligados à quantidade de produto fabricado e ao número de serviços prestados, em alguns casos, surgem em momentos emergenciais, ou seja, não estavam dentro do planejado. Exemplos:

  • combustível;
  • lubrificantes;
  • pneus;
  • peças e acessórios;
  • assistência técnica.

Saiba quais são seus custos

Os custos são os gastos que tem ligação direta com a produção e comercialização de bens ou serviços. A diferença é que os custos são pontuais e definem os ativos financeiros dedicados à execução de uma ou mais operações.

Os custos de logística são normalmente estruturados em suprimentos, gestão de estoque, transporte, gestão de frotas, custos administrativos e custos financeiros. Dentro dessa estrutura há custos diretos e indiretos.

Custos Diretos

Os custos diretos são todos os custos associados diretamente aos veículos, ou seja, estão relacionados ao tempo de utilização deles e à distância percorrida (Km rodado). Podemos citar:

  • remuneração de capital (custo de oportunidade);
  • depreciação dos veículos;
  • combustível, pneus e lubrificantes;
  • lavagens e graxas; e
  • manutenção.

Custos Indiretos

No setor de transporte, os custos indiretos não estão diretamente relacionados à operação dos veículos, dessa forma, não variam com a quilometragem rodada. Alguns deles são:

  • encargos e salários gastos, por exemplo, com profissionais do setor de venda, administrativo e comercial, ou seja, colaboradores que não estão em contato direto com a produção;
  • despesas necessárias para o funcionamento do negócio, como impostos, aluguel, entre outros;
  • água, telefone e energia elétrica;
  • serviços de terceiros;
  • impostos e taxas.

Metodologias de custeio

Essa metodologia é a maneira pela qual uma empresa define o preço de venda de seus serviços, separando os custos fixos e variáveis e determinando a participação de cada um no preço final. Consiste em três métodos:

  • custeio por absorção: apropriação dos custos fixos, variáveis, diretos e indiretos, gerados por meio do uso dos recursos alocados para a prestação dos serviços e distribuídos entre as demandas atendidas;
  • custeio variável: o custo final do serviço é a divisão da soma dos custos variáveis pela demanda atendida. Além disso, os custos fixos são aplicados diretamente no resultado do exercício;
  • custeio padrão: consiste em um custo definido antecipadamente, indicando o “custo ideal”, esse deve ser o pilar para o controle, o levantamento das variações e a análise da eficiência da produção.

Saiba como a tecnologia pode ajudar na gestão dos gastos e custos logísticos

Gerir de forma eficaz os gastos e custos envolvidos na logística de transporte pode ser muito complicado sem o uso da tecnologia, além de a chance de erros em registros e monitoramento serem muito grandes.

Saber como a tecnologia pode potencializar esse setor é de suma importância para se manter competitivo e em destaque no mercado. Seus pilares são a diminuição da ociosidade de carga, leitores de código de barra, Sistema WMS e melhoria na operação de carga e descarga.

Nesse último, ter um painel digital que controle as saídas, entradas e todos os processos pode ser de grande ajuda para manter o controle de tudo.

Muitas das ações para diminuição da ociosidade de carga são baseadas em dados e conexão de informações, mesclando a atuação, a tecnologia e a diminuição do espaço vago dos caminhões.

Quando falamos em código de barras, a tecnologia não é a etiqueta em si, mas sim os leitores que dão suporte na luta contra inúmeras irregularidades, aumentando a eficácia do processo e auxiliando, assim, na redução de custos.

Já o Sistema WMS auxilia no controle, desde o recebimento, a armazenagem e a separação até a expedição das mercadorias, possibilitando a visualização exata das mercadorias armazenadas. Destacamos aqui algumas vantagens do sistema:

  • aumento da produtividade do armazém e de seus operadores;
  • diminuição do número de movimentações;
  • controle das localizações;
  • gerenciamento da preparação dos pedidos;
  • ganho de velocidade e agilidade na preparação dos pedidos;
  • agilidade no carregamento dos veículos;
  • redução de perdas por causas desconhecidas e de erros de expedição e
  • aumento da rentabilidade da empresa.

Dessa maneira, podemos perceber a forma como a tecnologia pode melhorar os resultados, agilizando o processo e reduzindo os custos do negócio.

Logo, não basta apenas o conhecimento dos gastos e custos logísticos envolvidos no transporte, é necessário também estar atento às diversas ferramentas disponíveis para que seja possível uma gestão mais eficaz: aumentando a velocidade dos processos e a lucratividade e reduzindo os gastos, sem — é claro — perder a qualidade. Dessa forma, é possível conquistar um lugar de destaque no mercado.

Você gostou deste texto sobre gastos e custos logísticos? Aproveite a visita para assinar a nossa newsletter. Assim, você vai receber as nossas atualizações na sua caixa de entrada!

FAÇA UMA COTAÇÃO COM A CARGOX

Compartilhe: