Entenda o poder do Just in Time para o seu negócio

Artigos

Escrito por Ana Beatriz

Data: 10/08/2018

Reduzir os custos sem comprometer a qualidade do serviço é um objetivo de todo empreendedor. Por isso, metodologias como o Just in Time estão sendo cada vez mais difundidas e adotadas por muitas empresas no mercado.

No geral, as organizações focam em qualidade e eficiência no trabalho desenvolvido. Algumas questões importantes, no entanto — como o controle de estoque —, acabam sendo negligenciadas, influenciando negativamente no rendimento do negócio.

O Just in Time propõe uma forma de trabalho que resolve justamente esses pontos. Então, quer entender esse método e saber quais são os seus benefícios e como implementá-lo? É o que veremos neste artigo! Continue lendo para conferir:

O que é o Just in Time?

Traduzindo literalmente para o português, Just in Time significa “na hora exata”. Desenvolvida no Japão pelos gestores da montadora Toyota, essa metodologia propõe um sistema de “pull production”, ou seja, de aquisição de material somente quando for necessário, na quantidade correta e no momento certo.

Trata-se de um processo de fabricação e entrega em que um mínimo de mercadorias é mantido em estoque. Os itens, assim, são planejados para chegar precisamente no momento em que são essenciais no processo de produção ou expedição.

Como ele funciona?

O modelo do Just in Time foca em produzir exatamente o que é essencial, quando necessário, com excelente qualidade e sem desperdiçar recursos durante o processo. Assim, ele gera implicações para todo o sistema produtivo.

Além de fornecer métodos para o planejamento e controle da produção, o Just in Time afeta muitos outros aspectos dos sistemas de manufatura, como design de produto, recursos humanos, sistema de manutenção ou qualidade etc.

Dessa forma, com um fluxo suave de produção e custos reduzidos de estoque, pode-se minimizar a execução de operações sem valor para a linha produtiva em geral. Isso resulta em tempos de execução mais curtos, melhor desempenho de entrega e utilização dos equipamentos.

Quais são as principais vantagens do Just in Time?

Melhor utilização de espaço

Com um retorno mais rápido do estoque, você não precisa de muito espaço para o armazenamento ou a movimentação das mercadorias. Além de melhorar a utilização do espaço disponível, essa estratégia evita que a empresa precise alugar galpões extras para armazenagem, liberando fundos para outras partes do negócio.

Redução de custos

Um fluxo mais dinâmico de processos evita que as mercadorias fiquem danificadas ou se tornem obsoletas enquanto estão armazenadas, o que se reflete diretamente na diminuição da taxa de desperdícios.

Nesse sentido, a empresa economiza dinheiro gradativamente e consegue realizar investimentos de expansão e qualificação do serviço.

Estabilidade do fluxo de caixa

O sistema Just in Time é ideal para empresas menores ou que não possuem fundos disponíveis para comprar enormes quantidades de materiais de uma só vez. Afinal, solicitando novos estoques apenas quando necessário, a organização consegue ter melhor controle financeiro e manter um fluxo de caixa saudável.

Quais são as desvantagens do Just in Time?

Como qualquer estratégia corporativa, o Just in Time também apresenta riscos para empresas que não seguem corretamente as suas orientações. Vejamos, então, algumas dessas desvantagens que a metodologia pode trazer.

Ruptura no estoque

Como o intuito do Just in Time é não acumular um grande número de materiais, é imperativo desenvolver planos para garantir que o estoque sempre corresponda às necessidades da empresa.

Se, historicamente, a sua empresa tiver problemas com atraso de fornecedores e entregas, por exemplo, será preciso uma completa mudança de cultura antes de implementar a metodologia.

O primeiro e principal passo, nesse caso, é fechar parcerias com provedores pontuais e compromissados com essa nova filosofia de trabalho. Além disso, é essencial garantir que todos os colaboradores estejam empenhados em manter um estoque sempre disponível.

Dependência do cumprimento de prazos

Confiar na pontualidade dos fornecedores para cada novo pedido de cliente da sua empresa pode colocar em risco o cumprimento de prazo dos seus serviços. Por isso, mais uma vez, é preciso garantir que o sistema do Just in Time seja desenvolvido corretamente por todos os envolvidos.

Afinal, ao não atender às expectativas dos clientes, você abre brecha para que eles busquem e fechem contrato com os concorrentes, resultando em um impacto negativo para o seu negócio.

Planejamento minucioso

Para que o Just in Time seja bem-sucedido, é fundamental que a empresa entenda suas variações — como os períodos sazonais, por exemplo, esses intervalos em que algumas mercadorias precisarão de estoques mais altos por alguma demanda ou evento temporário.

Sendo assim, é essencial levar em conta o planejamento ao nível de estoque, garantindo que o fornecimento esteja sempre de acordo com o contexto da empresa em diferentes períodos do ano.

Qual é a relação entre o Just in Time e o Kanban?

Kanban é uma palavra japonesa que pode ser traduzida como “sinalização” ou “cartão”, mas que também dá nome a uma metodologia que funciona perfeitamente com o Just in Time. Isso porque ela é baseada na apresentação de cartazes para o monitoramento e direcionamento de processos dentro das empresas.

O conceito do Just in Time é executar as tarefas apenas quando necessário — por exemplo, fazer um novo pedido de materiais quando a remessa anterior já tiver sido utilizada. Para isso, porém, é preciso que todos os setores estejam em sintonia para evitar falhas, como rupturas no estoque.

Pois a aplicação do Kanban é o que garantirá essa homogeneização dos processos e da equipe de trabalho. Afinal, por meio de suas sinalizações (que podem ser digitais), cada equipe fica ciente de quando deve iniciar, pausar ou acelerar suas atividades. Assim, é perfeitamente possível aplicar o Just in Time, sem riscos.

Como implementar o Just in Time em uma empresa?

Para aplicar essa filosofia na sua organização, você deve implementar os seguintes conceitos ou ferramentas:

Fluxo de peça única

O tamanho dos lotes de produção deve ser o menor possível, se não de peças únicas. Em outras palavras, deve-se produzir em quantidade controlada.

Kanban

Como já vimos, o método Kanban é utilizado para sinalizar corretamente a ação da próxima etapa (iniciar, pausar, finalizar etc.). Assim, é um procedimento fundamental para gerenciar as necessidades de material entre linhas e processos separados.

Takt time

Takt time é uma expressão em alemão que significa “compasso de tempo”, utilizada no comércio para se referir ao ritmo de consumo do cliente. Com a aplicação dessa filosofia de trabalho, é possível prever e entender corretamente as demandas dos consumidores.

Especificamente na implementação do Just in Time, o Takt time ajudará a controlar melhor o estoque, fazendo com que a empresa adquira novos materiais no ritmo de consumo dos clientes.

Bom, como vimos, para uma bem-sucedida implementação do sistema Just in Time na sua empresa é preciso uma mudança em prol da metodologia. Todos os planejamentos devem ser criados a partir da “produção por procura”: primeiro, deve-se vender os produtos e serviços existentes para, depois, adquirir novas mercadorias e, só então, reiniciar todo o processo.

Enfim, analise todas as informações e dicas apresentadas aqui e aplique já o Just in Time na política da sua empresa!

Gostou do post? Entendeu como o Just in Time pode melhorar o seu negócio? Agora, aproveite a visita ao nosso blog para conferir também este infográfico com 9 dicas para reduzir custos operacionais!

FAÇA UMA COTAÇÃO COM A CARGOX

Compartilhe: