Desafios do transporte de carga pesada: conheça e aprenda a superá-los

Artigos

Escrito por Ana Beatriz

Data: 05/09/2018

Além de todos os percalços conhecidos (como rodovias sem manutenção e a violência), as empresas precisam enfrentar vários outros desafios do transporte de carga pesada no Brasil. A falta de profissionais qualificados e a alta burocracia do país estão entre os principais obstáculos.

O setor de transporte de cargas é reconhecidamente um dos mais onerosos para as empresas. Para que um trabalho seja executado com eficiência e dentro dos padrões estabelecidos, é preciso um volume médio de investimentos. Entender a complexidade do negócio é uma das maneiras mais inteligentes de se manter um equilíbrio financeiro.

Então, neste artigo, apresentaremos os principais desafios do transporte de carga pesada para as empresas no Brasil. Acompanhe e entenda como você pode melhorar cada vez mais os serviços do seu negócio. Boa leitura!

Profissionais qualificados

Contar com profissionais qualificados no corpo efetivo é um dos segredos de sucesso de qualquer empresa. Isso é um fato. Quando se trata do transporte de mercadorias extremamente pesadas (com medidas em toneladas), essa visão é ainda mais imperativa.

Nesse cenário, não bastam apenas motoristas, carregadores e gestores qualificados: o transporte de cargas pesadas abrange muito mais do que em uma atividade convencional do setor. Aqui, são necessários engenheiros de projetos, que garantem a movimentação das mercadorias da maneira mais segura possível. Dentre outras coisas, esses profissionais são responsáveis por:

  • criar e analisar planejamentos;
  • realizar cálculos complexos;
  • indicar corretamente o uso das cintas de elevação (objetos utilizados na movimentação de cargas pesadas).

Burocracia

Não é difícil presenciarmos em reportagens na televisão e na internet depoimentos de empresários sobre as dificuldades de manter um empreendimento no Brasil, principalmente em razão da grande burocracia do país.

O setor de transporte de carga pesada é um dos que mais sofrem nesse ponto. Primeiramente, para se iniciar as atividades, é preciso estar regulamentado em diferentes órgãos municipais, estaduais e federais. Além disso, constantemente surgem projetos que alteram leis referentes ao transporte de carga.

Somado a tudo isso, as empresas ainda precisam enfrentar a imprevisibilidade de mudanças em relação às taxas e restrições de tráfego para veículos com excesso de dimensões em rodovias federais e estaduais.

Nesse caso, para amenizar os prejuízos, as empresas devem se atualizar constantemente para saber quando e quais veículos de cargas estão liberados para circular em determinados pontos do país.

Segurança

Na verdade, a questão aqui é a falta de segurança. Segundo pesquisa realizada pelo Join Cargo Committee — o Comitê de transportes de cargas do Reino Unido —, o Brasil é o sexto lugar mais perigoso (dentre 57) para se realizar o serviço de transporte de cargas. O país só está atrás de nações que se encontram em zonas de guerra, como Afeganistão, Síria, Sudão do Sul, Iêmen e Líbia.

Ou seja, apesar das altas tarifas e burocracia, os transportadores brasileiros não dispõem de quase nenhuma segurança durante a execução de suas atividades. Casos de roubos, furtos e depredações são comuns na vida de motoristas de transporte.

E o problema não se limita apenas a ação de marginais e vândalos. As condições das estradas também representam um grande perigo para os trabalhadores e um prejuízo incalculável para os caixas das empresas.

E, infelizmente, tal como a burocracia, a segurança é um problema macro ambiente, ou seja, não é possível resolvê-la diretamente. Mas as organizações podem contar com a tecnologia para minimizar os impactos negativos.

Softwares de rastreamento, por exemplo, são os mais indicados para manter a supervisão sobre o veículo por todo o trajeto. Com esse tipo de tecnologia, a empresa consegue obter dados reais e quase instantâneos sobre as condições do caminhão, a velocidade atingida, se o veículo está em movimentação, entre outros.

Com a tecnologia como aliada, é possível desenvolver melhores rotas (evitando, assim, as estradas mais perigosas), acompanhar o trabalho do motorista (que pode ser utilizado como eventuais comprovações) e economizar custos em termos de manutenção.

Preços

Recentemente, tivemos no Brasil um das maiores greves de caminhoneiros da história. A principal reivindicação dos trabalhadores à época eram os preços praticados nos postos de combustíveis.

Apesar da revolta em massa ter acontecido há pouco tempo, essa reclamação é antiga e recorrente. O combustível vendido nos postos brasileiros é um dos mais caros em comparação aos países da América do Sul.

Além dos combustíveis, os preços das peças de reposição e manutenção dos veículos de cargas pesadas são extremamente altos, o que dificulta muito para as empresas em uma emergência ou manutenção não programada.

Para superar esses obstáculos, especificamente, a tecnologia também se mostra bastante útil. Com um software de gestão de frotas, por exemplo, é possível montar planejamentos que privilegiam a economia de combustível. Ainda que os preços praticados não diminuam, a empresa consegue controlar os gastos utilizando os veículos certos para cada tipo de transporte, além de sempre escolher o melhor trajeto.

Com relação à reposição de peças, a ação mais inteligente é a criação de estratégias de conservação. A partir das manutenções preventivas e preditivas, a empresa evita ser pega de surpresa com quebra de peças. Esse trabalho direcionado permite que a compra de novos acessórios seja feita de maneira antecipada, possibilitando maior economia e eficácia na reposição.

Logística

Nesse ponto, a logística engloba a gestão de todos os fatores apresentados até o momento. Por isso, o grande desafio é exercer e manter uma integração dos setores para amenizar e superar os principais desafios.

Atualmente, a grande vantagem é a possibilidade de automatizar processos em diferentes etapas do trabalho. Hoje, a tecnologia permite que muito trabalho seja otimizado e livre de falhas, refletindo em uma melhoria geral do serviço. Além disso, a logística da empresa também pode ser impulsionada com a terceirização: essa estratégia ajuda na redução de custos, bem como na qualificação do trabalho, por se tratar da participação de especialistas no negócio.

Em suma: os desafios do transporte de carga pesada são muitos, alguns de maior dificuldade de mudança do que outros. Porém, com a adoção da tecnologia e a construção de planejamentos inteligentes, as empresas podem superá-los e desenvolver um trabalho em excelência que agrade ao cliente final. Sendo assim, analise todas as informações e supere você também os obstáculos do setor.

Gostou das dicas apresentadas? Então baixe agora mesmo o nosso e-book e confira tudo sobre o panorama geral do transporte no Brasil!

FAÇA UMA COTAÇÃO COM A CARGOX

Compartilhe: