Como a tecnologia impacta nas operações logísticas?

Artigos

tecnologia

Escrito por Ana Beatriz

Data: 25/06/2018

O principal objetivo da logística é conseguir entregar o produto certo, da forma mais adequada, no menor tempo possível e gerando somente o custo necessário. Ao aliar tecnologia e logística, isso pode ser alcançado com maior eficiência, gerando processos menos complexos.

Assim, é possível integrar processos, melhorar a comunicação entre os departamentos e manter a linearidade das etapas logísticas da empresa.

Neste post você vai entender melhor os benefícios da aplicação da tecnologia na logística, conhecendo quais ferramentas podem ser usadas para aprimorar a gestão. Confira!

A tecnologia simplifica os processos

Ao implementar uma solução tecnológica, realizar a padronização dos processos é crucial para que o investimento seja aproveitado com mais eficiência. Isso é necessário para evitar os erros e garantir que as informações serão inseridas no sistema de maneira uniforme — o que faz toda diferença na hora de realizar as análises.

Além disso, o acesso aos dados se torna mais fácil e rápido, consegue-se ter maior controle sobre os processos, muitas atividades são executadas de maneira automática e as equipes se tornam mais produtivas.

Com isso, os métodos de trabalho e a tomada de decisão que são realizados diariamente se tornam mais simples.

Garante centralização, maior segurança e confiabilidade das informações

Em tempos em que os mercados estão altamente competitivos, informação é tudo. Obter os dados relevantes, de maneira acertada e com agilidade pode ser a vantagem que o negócio precisa para se destacar e sair na frente da concorrência.

Quando se adota um sistema de gestão, todos as informações ficam concentradas em uma base de dados única, o que facilita o monitoramento e o acesso a elas. Além disso, dessa forma elas ficam mais seguras, estando menos sujeitas a extravios, fraudes e erros.

Aumenta a agilidade nas operações e ajuda a promover a redução de custos

A automação dos processos faz com que as rotinas estejam alinhadas, promovendo mais agilidade e aumento da produtividade — principalmente no que diz respeito à transição entre tarefas em que é necessário a troca de informações (a rapidez é fundamental para evitar desperdícios de tempo e mão de obra).

A padronização dos processos, citada anteriormente, é um dos fatores que contribuem para que as operações sejam simplificadas e que os gargalos que as dificultam sejam eliminados, permitindo que as atividades sejam executadas com mais eficiência.

Por consequência, chega-se na redução dos custos. Ela é possível graças à eliminação dos desperdícios, uma equipe mais produtiva e eficiente, redução do tempo do ciclo de vida do pedido, diminuição de paradas durante o trabalho, dentre outros pontos.

Estreita o relacionamento com os parceiros de negócio

Da mesma forma que a tecnologia permite que os processos internos sejam integrados, melhorando a rotina, é possível contar com soluções que ajudem a aprimorar o relacionamento com os parceiros de negócios — o compartilhamento de informações via EDI é um grande exemplo disso.

Dessa forma, seus fornecedores e parceiros também garantem uma comunicação fluida e mais ágil, o que ajuda a tornar as operações mais rápidas, de ponta a ponta da sua cadeia logística.

Com essa sinergia e a troca de informações, torna-se possível encontrar meios de aumentar a qualidade dos produtos e serviços e satisfazer as necessidades dos clientes.

A partir daí todas as empresas envolvidas passam a atuar em conjunto, tornando o grupo mais forte e competitivo, permitindo sair na frente dos concorrentes em muitos aspectos.

Faz a empresa se tornar mais próxima dos clientes

Existe uma ferramenta chamada CRM — ou Gestão do Relacionamento com o Cliente, em português — que ajuda a compreender melhor seus clientes, por meio de uma base de dados bem sólida, e voltar o foco para oferecer um atendimento personalizado, que satisfaça suas necessidades.

Apesar de ser um recurso voltado para a área comercial, ele pode ser aproveitado para obter informações a respeito do que os consumidores acham do serviço que é oferecido pela sua empresa. Assim, consegue-se saber quais são as principais reclamações e o que precisa ser feito para diminuir esses índices.

Proporciona visão sistêmica e integrada dos processos

Do ponto de vista gerencial, o investimento em tecnologia garante maior visibilidade e controle dos processos, já que a grande maioria deles são automatizados ao adotar um sistema de gestão.

Isso, por si, já faz com que se possa acompanhar, com maior precisão, todas as etapas de uma operação — desde o momento em que o pedido é feito, até a hora em que ele é entregue para o cliente final, graças a união entre tecnologia e logística.

Tudo isso dá ao gestor um panorama bem realista e atualizado de tudo o que está acontecendo, já que torna-se possível acessar as informações em tempo real e de maneira simplificada.

Não é apenas uma ferramenta de controle

Além de todos os benefícios que já foram citados, ainda vale lembrar que a adoção de tecnologia nas operações não se trata apenas do investimento em uma ferramenta de controle dos processos.

Na grande maioria dos casos, sistemas de informação permitem a criação de relatórios, que fornecem uma visão bem ampla de cada área e permitem que o gestor analise melhor cada aspecto sob sua gestão.

Ou seja, todos os dados podem ser usados para otimizar os processos, tomar decisões mais acertadas, ou mesmo elaborar novas estratégias. Dessa forma, o investimento em um software também tem potencial para ajudar a criar vantagem competitiva para o negócio — haja vista que ajuda a reduzir os custos, aumentar a qualidade dos produtos e serviços e melhorar o atendimento ao cliente, por exemplo.

Tecnologia e logística: exemplos de soluções que ajudam a otimizar as operações

Existem diversas soluções que fazem com que a tecnologia e logística estejam diretamente ligadas. Veja quais são elas.

WMS

O Warehouse Management System — Sistema de Gerenciamento de Armazém — é um sistema voltado para o controle de estoque. Com ele, consegue-se administrar processos como recebimento, armazenagem, separação dos pedidos, expedição e inventário dos materiais.

TMS

O Transportation Management System — Sistema de Gerenciamento de Transportes — é um sistema dedicado à gestão de transportes. Ele permite executar rotinas como controle da frota, gestão dos custos, auditoria de fretes e monitoramento das entregas, por exemplo.

Roteirizador

Essa ferramenta permite realizar o planejamento de rotas, garantindo percursos mais eficientes para as entregas. Como nem todas soluções de TMS oferecem essa funcionalidade, pode ser necessário contratá-la à parte.

Com o roteirizador, consegue-se otimizar a distribuição, usando variáveis como os endereços de entrega, o gasto com combustível, o tempo, as restrições no trânsito, cobranças de pedágio, restrições dos clientes, entre outros.

ERP

O Enterprise Resource Planning — Planejamento de Recursos Empresariais — é um sistema que permite realizar a integração entre as mais variadas áreas do negócio. Apesar de não ser completamente voltado para a logística, ele é essencial para que se alcance uma gestão mais eficiente.

Um exemplo disso é quando o pedido é lançado no sistema e automaticamente o setor de estoques já recebe a ordem de separação dos pedidos e dá baixa nas quantidades dos itens. Por meio dessas informações, a logística consegue dimensionar a necessidade de veículos e o setor de compras recebe o alerta de necessidade de reposição (quando o nível de estoque alcança o ponto mínimo).

Internet das coisas

A possibilidade de plataformas que se conectam à internet é cada vez maior. Os computadores abriram espaço para celulares, tablets, videogames e, sem que ninguém percebesse, para mais uma ampla opção de aparelhos presentes no cotidiano de qualquer pessoa comum, seja no trabalho, seja em casa.

Quando essa possibilidade é aplicada na logística, há uma potencial melhoria de procedimentos. Se todas as máquinas e aparelhos presentes na cadeia de processos pudesse se comunicar, graças a uma conexão com a internet, seria mais fácil identificar a etapa atual do trabalho de logística, não é mesmo?

A internet das coisas preza justamente por essa capacidade de máquinas e objetos se comunicarem entre si online. Assim, uma rede é criada, de modo que essas ferramentas troquem informações automaticamente e de forma rápida, para que os processos sigam linearmente.

A aplicação desses recursos no dia a dia de uma empresa que tem atividades logísticas deixaria tudo mais rápido, mobilizando menos colaboradores para cuidar dessa transição de etapas. Desse modo, mais gente estaria trabalhando em procedimentos mais importantes, enquanto alguns outros só monitoravam essa troca de informações que acontece entre as máquinas.

Drones

Os drones já são realidade e, quando se fala da união de tecnologia e logística, já é possível prever um futuro ambicioso, inovador e, até então, ousado no que se refere ao uso desse recurso. Atualmente, o drone já é de ampla utilização para filmagens e controle de espaços, porém, sua grande capacidade de mobilidade chama atenção de gestores logísticos e de profissionais da área.

A grande questão que permeia o setor é: será que os drones não são capazes de realizar entregas? Ele pode se comunicar, pode ser controlado por um operador, tem conexão à internet e tem um diferencial e tanto por ser um aparelho aéreo.

Ter um drone realizando entregas vai gerar uma grande economia de custos. Por naturalmente ser um aparelho menor, vai realizar economia de tempo, já que ele iria pelo ar, sem pegar trânsito, e ainda seria capaz de manter uma comunicação com a empresa em tempo real.

O grande problema é que o uso de drones ainda está em fase de testes, sendo apenas uma perspectiva para o futuro, que talvez não esteja tão longe assim. Vale a pena investir em testes e ficar atento aos resultados!

Análise Big Data

Atualmente é impossível falar de tecnologia e logística e não considerar a importância que os dados têm para uma série de operações e atividades. Eles são capazes de trazer informações amplas que, uma vez analisadas, permitem a leitura precisa acerca de resultados da empresa, além de oferecer base para melhorias.

Entretanto, dentro de um constante fluxo de trabalho de uma empresa logística, esses dados podem chegar a volumes gigantes, e é aí que entra o Big Data.

Esse conceito é usado para definir o trabalho de análise de um número vasto de dados gerados durante a atividade da empresa, em que todas essas informações são trabalhadas para um melhor entendimento do que acontece no cotidiano do negócio.

Os dados analisados pelo Big Data podem ser usados para entender as atividades e apontar pontos de melhoria e otimização, assim como também ajudam na identificação do que está sendo feito de maneira errada. Sendo assim, a análise de Big Data é parte fundamental do processo constante de melhoria dos processos logísticos.

Rastreamento em tempo real

Talvez um dos frutos mais importantes da proposta de aliar tecnologia e logística seja a possibilidade de acompanhar as cargas em tempo real enquanto elas estão nas ruas para a entrega ao cliente final.

O rastreamento é uma funcionalidade bastante útil e, quando ele acontece de forma contínua desde que sai do depósito, a empresa tem a possibilidade de estar a par da etapa final da logística sem que isso demande custos altíssimos ou tecnologias muito avançadas.

A rastreabilidade é cada vez mais simples e palpável, com suas utilidades sendo mais amplas do que se pode imaginar. Além do controle da empresa, há também a possibilidade de oferecer esse rastreamento ao cliente, algo que é muito bem-visto.

Essa função também pode ser importante para o planejamento da entrega, já que possibilita a mudança de rotas ao identificar congestionamentos ou outros eventos que possam gerar atrasos. Assim, o acompanhamento traz segurança, oferece um serviço de fidelização ao cliente e ainda otimiza a entrega.

CRM

Sigla do inglês para Customer Relationship Management, ou Gestão de Relacionamento com o Cliente, CRM é um importante conceito que visa justamente encontrar melhores oportunidades de negócio e trabalhar de forma produtivo junto aos clientes da empresa.

Nesse caso, o CRM pode ter seu próprio software especializado para esse trabalho, ou até mesmo ter essa funcionalidade no ERP que a empresa usa. Independentemente de como é encontrado, o importante é o que ele pode trazer para o negócio e os processos logísticos.

O CRM é a grande ferramenta da área comercial da empresa, ajudando a definir métodos e processos de trabalho de acordo com o que o cliente necessita. Assim, esses softwares ajudam com controle de informações que podem ser usadas para insights e boas oportunidades de ofertas de serviços.

Sistemas mobile

O mobile é uma realidade mais que estabilizada e, quando se fala de tecnologia e logística, é possível conseguir resultados ainda mais eficientes e que agilizam todo o trabalho do cotidiano. Os sistemas estão cada vez mais adaptados a smartphones e tablets e isso permite a atuação remota.

Gestores conseguem estar a par do andamento das demandas mesmo sem estarem dentro da empresa, assim como a equipe de planejamento consegue se comunicar com motoristas por meio dos aplicativos instalados em seus celulares

A tecnologia e logística são grandes aliadas para se otimizar a gestão e conseguir resultados aprimorados. À medida que a logística evolui e vai se tornando parte da estratégia do negócio, a tecnologia vai acompanhando e desenvolvendo soluções cada vez melhores.

Gostou desse post? Então aproveite para assinar a nossa newsletter e receber outros conteúdos em primeira mão!

[rock-convert-cta id=”7197″]

FAÇA UMA COTAÇÃO COM A CARGOX

Compartilhe: