cross docking
Custos e processos logísticos

Como implementar a logística cross docking na minha empresa

Um processo logístico de alta qualidade é fundamental para o sucesso de uma organização. Como o mercado e a forma de consumir vêm mudando tanto quanto a configuração das cidades, esse é um setor que precisa evoluir junto. Nesse sentido, entra em cena a logística cross docking.

Voltada para tornar mais simples processos que normalmente demandam muitos recursos e esforços, ela pode ser praticada com êxito no seu negócio. Os resultados positivos vão se acumular na forma de várias vantagens.

Entenda a seguir como isso funciona e aprenda a implementar a logística cross docking na sua empresa!

O que é a logística cross docking?

Quando se fala em entrega, é comum ter em mente a ideia de ter produtos armazenados que, após a compra, são separados e enviados para o cliente. No caso da logística cross docking, a configuração é diferente.

Em vez de haver o estoque em si, os produtos são enviados para um centro de distribuição (CD), conferidos e enviados logo em seguida. A empresa que usa essa estratégia não depende de um espaço físico de armazenagem, já que os produtos são enviados, conforme são solicitados, para o de distribuição.

É uma espécie de estratégia on demand, que serve para melhorar diversos resultados do empreendimento, indo de pequenas lojas a grandes e-commerces.

Como ela pode ajudar o negócio?

Se for utilizada da maneira certa, a logística cross docking pode trazer efeitos diferenciados para sua empresa. E isso colabora com o crescimento e desenvolvimento do negócio. Que tal vermos detalhadamente os principais benefícios?

Reduz ou extingue estoques próprios

A principal característica da logística cross docking é a dispensa de um estoque próprio, que acontece diante de uma parceria bem-feita com um fornecedor de confiança e que será capaz de atender ao fluxo de demandas do comércio em questão.

Dessa forma, a empresa passa a não precisar armazenar mais nenhum produto em suas dependências, já que eles vêm direto desse fornecedor. Assim, além da redução de trabalho no gerenciamento de galpões, o que demanda muito esforço, há também a redução de custos e a extinção de riscos relacionados a perda de produtos por conta de fatores como incêndios, roubos e qualquer imprevisto.

Evita o gerenciamento inadequado

Um dos principais efeitos diz respeito ao desabastecimento, que deixa de existir. Em geral, ele acontece pelo gerenciamento inadequado de produtos em estoque. Com tal elemento extinto, a abordagem passa a ser on demand e mais disponível. Por conta disso, é fundamental também contar com um parceiro de confiança.

Com a logística cross docking sendo praticada, apenas o envio desses produtos aos compradores é feito pela empresa, o que demanda menos esforços, reduzindo o número de etapas logísticas. Assim, as chances de erros de gestão são reduzidas significativamente.

Oferece agilidade no processo de venda

Outro ponto é que tudo ganha agilidade, já que o processo de separação e envio leva menos tempo, garantindo maior atenção ao planejamento inicial. Com isso, o cliente recebe o produto em menos tempo, o que o deixa mais satisfeito.

Sem precisar fazer a separação de estoque, a logística da empresa apenas foca em preparar etiquetas e endereçamento no tempo de 1 a 3 dias em que os produtos saem do parceiro que os têm em estoque e chegam no centro de distribuição. Assim que os pedidos chegam, são etiquetados e enviados aos compradores.

Reduz custos operacionais

E já que tempo é dinheiro, também há uma redução nos custos. Além de diminuir os gastos com armazenamento de produtos e controle de estoque, a percepção positiva também joga a favor do negócio. Novos clientes são atraídos mais facilmente, diminuindo as despesas.

Um galpão requer manutenção, limpeza, organização e até mesmo maquinários e funcionários indispensáveis para fazer uma estrutura de grande porte funcionar adequadamente. Fica fácil de entender o quanto isso custaria à empresa, não é mesmo?

A distribuição, única obrigação que resta, demanda muito menos investimentos, deixando as atividades da empresa com menor custo, refletindo naturalmente em melhores margens de lucro

Diminui a necessidade de capital de giro

O capital de giro é fundamental para que qualquer empresa, independentemente do segmento, consiga exercer as suas atividades de forma adequada. Quando se adota a logística cross docking esse capital ainda é necessário, porém, em valores muito menores do que em um regime comum.

Nessa atividade, os produtos são adquiridos junto aos fornecedores apenas quando o cliente confirma a compra, ou seja, parte desses recebíveis podem ser direcionados para essa aquisição. Isso reduz a necessidade de ter quantias elevadas em caixa para fazer essa movimentação imprescindível.

Apenas outras atividades básicas da empresa vão necessitar de dinheiro, o que demanda um capital de giro reduzido. Com isso, parte significativa do valor pode ser reinvestida em melhorias ou recolhida como lucro.

Facilita a gestão de supply chain

O gestor da cadeia de suprimentos costuma ter uma série de obrigações importantes no processo logístico da empresa que, com o cross docking, será reduzido e otimizado consideravelmente.

Dessa maneira, quem cuida desses processos tem uma redução de demandas, o que permite a dedicação a outras etapas igualmente importantes de sua atuação.

O foco pode ser voltado à melhoria dos processos existentes na empresa, dando maior atenção até mesmo à distribuição. Essa mudança de direcionamento pode trazer maior agilidade, aumentando a produtividade e reduzindo erros, o que contribui para a estabilização e o crescimento da empresa no mercado.

Mantém a satisfação do cliente

A logística cross docking muda radicalmente o cotidiano e o modo de operação da empresa e, naturalmente, isso gera uma preocupação com a percepção do cliente em relação à empresa.

Entretanto, os serviços oferecidos não sofrem nenhum tipo de interferência, pelo contrário, ainda são maiores as chances de trabalhar com estoques vastos e que atendam ao público que compra com a empresa.

O cross docking garante a manutenção de um tempo estimado de entrega baixo, dentro dos padrões de qualidade relacionados à logística, tendo em vista que o fornecedor faz a entrega em pouco tempo.

O tempo de recebimento no centro de distribuição e despacho para entrega também são pequenos, não influenciando negativamente na experiência de compra.

Quando executado com eficiência, planejamento e em conjunto com parceiros de confiança, o cross docking é capaz de manter e até mesmo aumentar a satisfação dos clientes com os serviços prestados pela empresa.

Quais são os tipos de logística cross docking?

O cross docking é um modelo que pode ser usado de diferentes formas, de acordo com o que as empresas pretendem. Diante disso, há atualmente três tipos dessa logística: movimentação contínua, movimentação consolidada/híbrida e movimento de distribuição.

Conhecer cada um deles é de extrema importância para entender qual modelo pode oferecer mais benefícios e se adequar às atividades do seu negócio. Confira mais sobre cada um deles a seguir.

Movimentação contínua

Tradicional e sem nenhum tipo de mudança, a movimentação contínua é a logística de cross docking em sua essência: produtos são adquiridos de um fornecedor, recebidos no centro de distribuição e enviados ao consumidor final. Esse modelo atualmente é amplamente utilizado por e-commerces que trabalham no modelo de marketplace.

Movimentação consolidada/híbrida

Esse modelo é aquele em que a empresa admite a possibilidade de formar pequenos estoques para pedidos futuros. Funciona da seguinte forma: ao receber os pedidos em seu CD, parte é enviada ao comprador e outra parte segue retida para quando forem solicitadas em novas compras.

Movimento de distribuição

O movimento de distribuição utiliza o cross docking para um modelo de negócio diferenciado, quando as empresas atuam como distribuidoras. Nesse processo os produtos são recebidos e no CD são formadas cargas grandes e completas, que sairão em volumes maiores, para então serem distribuídos.

Como aplicá-la?

Para que tudo isso seja possível, é necessário fazer a implementação adequada desse tipo de logística. A logística cross docking se mostra muito interessante e, como você viu, atende a diferentes modelos de negócios para empresas.

Entretanto, a eficiência desse método só vai aparecer com o cumprimento de algumas etapas que devem ser seguidas de maneira estruturada. A qualidade dos serviços da empresa e até mesmo a credibilidade no mercado do segmento vão depender de muitos desses fatores imprescindíveis. A seguir, confira quais são as etapas fundamentais para implementar o cross docking no seu negócio.

Escolha bem os fornecedores

O cross docking depende intensamente dos fornecedores. É preciso ter uma empresa capaz de entregar os produtos sob demanda no centro de distribuição, além de contar com uma transportadora que faça as entregas em tempo hábil.

Sendo assim, é fundamental fazer uma seleção adequada. Comece fazendo uma seleção de propostas, coletando as informações mais relevantes sobre cada empresa.

A partir daí, faça um comparativo e confira a flexibilidade de cada opção apresentada, de modo a encontrar as opções que são mais indicadas.

Tenha um centro de distribuição

A próxima etapa consiste em ter um centro de distribuição. Ele deve ter um tamanho compatível com o fluxo de pedidos e deve estar em um local estratégico.

Dessa maneira, ele não precisa estar na área principal da empresa, se isso significar uma distância muito maior dos principais clientes e fornecedores.

Faça um levantamento com os dados dos clientes mais importantes e dos fornecedores mais relevantes. Cruze essas informações e encontre os pontos de interseção de interesse. Esse ponto tende a ser o melhor local para um centro de distribuição, garantindo conveniência de saída.

Crie workflows

A próxima etapa exige a criação de workflows ou fluxos de trabalho. É nesse momento que são determinadas as etapas que serão seguidas, como o pedido ao fornecedor, a conferência e envio.

É fundamental que tudo seja detalhado para que não haja dúvidas e que seja o mais simples possível.

Como é uma alteração de panorama muito grande, pode ser necessário fazer algumas adaptações em relação aos processos internos, de modo a obter o resultado esperado.

Se a empresa tem um setor dedicado ao estoque, por exemplo, é necessário rearranjar esses profissionais para que executem as novas tarefas.

Treine bem a sua equipe

Não adianta apenas ter bons fluxos de trabalho se a execução deixar a desejar. Por isso, toda a equipe deve ser devidamente treinada para lidar com as novas tarefas.

Sai o controle de estoque e entram a realização de pedidos para o fornecedor, a conferência de itens e assim por diante. Todos também devem estar cientes do novo workflow, de modo a aliar eficiência, confiabilidade e garantia de bons resultados.

Invista na capacitação para essa nova forma de trabalho, de modo a evitar retrabalhos e a logística reversa de maneira negativa. Se for necessário, realize um período de experiência e adaptação, mesclando a existência do estoque à logística cross docking que atuará como substituta progressiva.

Mantenha um bom fluxo de chegadas e saídas

Ter veículos que apresentam dificuldade em entrar ou sair do centro de distribuição significa ter um aumento na possibilidade de atraso e menos eficiência em geral. Por isso, o ideal é manter um fluxo adequado nesse sentido.

Busque, por exemplo, ter uma boa sinalização para entrada e saída, além de escolher um local acessível. Se possível, procure agendar as entregas, de modo a melhorar a preparação da equipe e do ambiente.

Por falar nisso, é fundamental manter a organização, já que isso acelera o processo de conferência e liberação dos veículos, além de diminuir o tempo para a entrega em si.

Aplique a tecnologia

Ainda que a logística cross docking gere a simplificação do ponto de vista do estoque, esse método exige uma grande sincronia de etapas. Para tanto, o uso da tecnologia faz a diferença.

Aproveitar um ERP, por exemplo, garante integração de dados e setores, favorecendo os pedidos. Já um software de inteligência de vendas contribui para a predição de compras, garantindo a antecipação de pedidos.

Uma transportadora que empregue a inteligência de dados conseguirá realizar as entregas dentro dos parâmetros esperados. Esse deve ser, portanto, um elemento considerado na hora de fazer a seleção. Tarefas automatizadas tendem a oferecer mais controle, então vale a pena diminuir a atuação humana nos pontos críticos, como na validação de pedido, por exemplo.

Monitore os resultados

Após a implementação, é indispensável ficar de olho nos efeitos. Isso garante mais controle e permite a otimização da atuação. Assim, a empresa não corre o risco de ver uma queda nos resultados devido ao emprego dessa abordagem, por exemplo.

Determine indicadores de performance e faça a medição de maneira consistente para otimizar a atuação conforme o necessário. Gere relatórios gerenciais e compare o desempenho, dentro de certos benchmarks, em relação à existência do estoque e em relação a outras empresas.

O principal objetivo é encontrar gargalos e pontos de fuga de desempenho, de modo que seja possível garantir mais velocidade e assertividade de atuação.

A logística cross docking proporcionou uma mudança interessante no modelo de distribuição e entrega de muitas empresas, especialmente no segmento de e-commerce. Com cada vez mais grandes nomes do mercado adotando essa prática, fica claro o entendimento de como ela é eficiente, não é mesmo?

Quer saber de mais assuntos interessantes, como este? Siga nossas páginas nas redes sociais e não perca mais nenhum conteúdo! Estamos no FacebookLinkedInYouTube  e Twitter

FAÇA UMA COTAÇÃO COM A CARGOX

Artigos relacionados

Mais
matriz gut

Matriz GUT: saiba como aplicá-la aos processos logísticos

Muitas empresas adotam a metodologia da Matriz GUT para ajudar a priorizar e tratar problemas conforme sua gravidade, urgência e […]

Categoria: Custos e processos logísticos
Mais
transporte de cargas

Preço vs qualidade: como funciona essa comparação no transporte de cargas

Preço e qualidade são variáveis diretamente proporcionais nas quais os maiores preços indicam qualidade superior e os menores indicam qualidade […]

Categoria: Custos e processos logísticos
Mais
padronizar os processos

Como posso padronizar os processos de logística da empresa?

Para padronizar os processos definina um método de trabalho eficaz, garantindo que as atividades sejam executadas de maneira uniforme, reduzindo o risco […]

Categoria: Custos e processos logísticos
Estamos ajudando milhares de profissionais de transporte com nossos conteúdos. Inscreva-se também

Estamos ajudando milhares de profissionais de transporte com nossos conteúdos. Inscreva-se também