Imagem relacionada ao texto
Inteligência logística e estratégia

15 dicas incríveis para fechar parcerias empresariais em logística

Ter bons parceiros é cada vez mais essencial no mundo corporativo. Afinal, isso afeta diretamente a produção, a competitividade e o sucesso do empreendimento. Além de ser um pressuposto de sobrevivência e ampliação de mercados, as parcerias empresariais podem representar um incremento do desenvolvimento tecnológico.

No segmento de logística, as parcerias são relações comerciais caras, já que sua operacionalização demanda um grande esforço. Por isso, é temerário formá-las sem uma avaliação prévia das características do potencial parceiro para determinar se a relação custo-benefício é vantajosa.

Isso é essencial porque as características dos fornecedores e suas motivações em relação à parceria, bem como sua cultura organizacional, podem influenciar os processos operacionais e gerenciais da companhia. Quer saber mais sobre esse tema? Continue conosco e leia 15 dicas a seguir!

1. Determine o objetivo da parceria

Quando pensar em estabelecer uma parceria, é importante definir os principais propósitos dessa estratégia. A ideia é melhorar a logística da empresa, mas isso pode ser feito para reduzir custos ou aumentar as vendas, por exemplo. Vale, então, observar o mercado e analisar o que seria vantajoso para o seu público.

2. Saiba quais produtos seu cliente busca

Os interesses do consumidor devem ser uma das prioridades da empresa. Afinal, quanto mais próximos das necessidades dele seus produtos estiverem, maiores as chances de o cliente se tornar fiel à marca. Então, reconhecer os interesses mais importantes é o primeiro passo para fechar parcerias estratégicas.

3. Identifique possíveis parceiros

Com base no portfólio de produtos é mais fácil escolher os parceiros mais promissores. Afinal, eles devem ser um complemento estratégico da sua atividade. É importante avaliar quais valores essa possível parceria pode agregar a cada elo da cadeia — que inclui distribuidores, atacadistas, varejistas, consumidores finais e outros.

Além disso, leve em conta seus valores e seus princípios éticos para estabelecer alianças fortes e duradouras. Líderes e empreendedores alinhados com os mesmos valores e crenças semelhantes têm uma adaptação mais orgânica e com mais chances de suprir as necessidades de todos os envolvidos.

4. Defina o que pode oferecer aos parceiros

É fundamental saber o que está disposto a ofertar. A parceria deve envolver vantagens mútuas: pode ser exclusividade, condições especiais para os clientes dos parceiros e outras. É importante apresentar um diferencial, já que parcerias devem ser vantajosas para ambos os envolvidos.

Além disso, é importante não fazer diferenciação entre os clientes vindos dos parceiros e os demais. Isso pode comprometer todo o trabalho da sua empresa e ainda prejudicar o do parceiro.

5. Avalie os prós e os contras

Pesquisar as empresas antes de propor uma parceria é a melhor forma de conhecer suas visões de futuro, seus anseios de crescimento, suas formas de gestão e suas filosofias. Com base nos critérios definidos previamente pode-se, então, constatar se vale a pena fazer uma aliança com a organização.

6. Estabeleça regras claras

Todas as regras, bem como os benefícios acordados entre os envolvidos, devem ficar claras desde o princípio. Isso evita que haja questionamentos futuros decorrentes de falhas de comunicação. E é essencial que a empresa cumpra o que promete para evitar desgastes à sua reputação.

Em parcerias, as principais decisões são tomadas em conjunto. É importante, então, que as metas de ambas as empresas coincidam, especialmente em relação aos resultados que cada uma busca com a parceria.

7. Procure empresas de sucesso

Quanto melhor for a referência dos potenciais parceiros, mais isso se projeta na sua própria marca. Para identificá-las, pode-se avaliar:

  • experiências próprias anteriores com cada uma;
  • recomendações da carteira de clientes atual;
  • avaliação dos fornecedores em sites de reclamação e nas mídias sociais;
  • organização, tecnologias e inovações adotadas.

Além desses, podem ser estabelecidos outros critérios de avaliação relevantes para a companhia. O importante é que eles ajudem a definir quais são as companhias mais interessantes para serem seus parceiros.

8. Levante custos

Uma aliança pode proporcionar ganhos importante, mas é fundamental avaliar as despesas que podem ocorrer. Por isso, vale a pena contratar especialistas que possam analisar os riscos e até elaborar um contrato que estabeleça a parceria.

9. Faça a proposta

Uma vez escolhido o parceiro ideal, é preciso fazer uma proposta a ele. Essa ideia deve prever a negociação das condições para que haja equivalência de ganhos entre os envolvidos. Por isso, é muito importante que as partes tenham objetivos comuns.

10. Elabore o contrato

As regras da parceria devem ser definidas em um contrato. Independentemente da abrangência da ação, é esse documento que vai determinar as responsabilidades das empresas envolvidas e, em última instância, ajudar a companhia a se proteger de eventuais problemas futuros.

11. Determine um cronograma

Ter início, meio e fim é essencial para que o projeto realmente possa ser bem-sucedido. Ter um prazo determinado ajuda a planejar todos os aspectos de forma mais realista. É importante definir esse cronograma com a empresa parceira.

12. Escolha a equipe responsável

Deve haver uma equipe responsável pelo projeto e cada integrante deve saber quais são suas funções. Isso é importante para que a parceria seja bem-sucedida. Com profissionais cientes de suas responsabilidades é mais fácil ter seu comprometimento dedicado ao projeto.

13. Monitore os resultados

Com a parceria estabelecida, é hora de avaliá-la periodicamente para conferir quais são os resultados da escolha. Com base neles, fica mais fácil melhorar o que for necessário e reforçar o que deu certo. Vale examinar os custos, o retorno, a qualidade dos processos e o índice de satisfação dos clientes.

14. Aposte em uma comunicação eficiente

Comunicação eficiente é a base de qualquer projeto de sucesso. Afinal, isso ajuda a manter todos alinhados em torno dos mesmos objetivos para que o trabalho seja exitoso e, assim, melhore a taxa de conversão da organização.

15. Avalie os benefícios da parceria

A partir do monitoramento dos resultados, avalie os ganhos e os benefícios advindos da formação da parceria. Se os resultados tiverem sido positivos e benéficos, pode-se pensar em uma renovação do contrato. Caso contrário, é o momento de partir para novas parcerias.

Em resumo, ao escolher parcerias empresariais é essencial que eles estejam alinhados com a cultura e os processos da empresa. Dessa forma, é mais natural que os outros aspectos do projeto sejam bem-sucedidos.

Quer acompanhar outros posts semelhantes? Então, siga nossas páginas nas redes sociais. Encontre-nos no Facebook, no Twitter, no LinkedIn e no YouTube.

FAÇA UMA COTAÇÃO COM A CARGOX

Artigos relacionados

Mais
infraestrutura logística brasileira

Entenda como é a infraestrutura logística brasileira

O crescimento econômico nacional se encontra mitigado, muito por conta da defasada infraestrutura logística brasileira. A ineficiência dessa área dificulta […]

Categoria: Inteligência logística e estratégia
Mais
Inteligência-logística-o-diferencial-competitivo-para-o-seu-negócio

Inteligência logística — O diferencial competitivo para o seu negócio

Atualmente, com o mercado cada vez mais competitivo e um público cada vez mais exigente, atender às necessidades dos clientes […]

Categoria: Inteligência logística e estratégia
Mais

4 estratégias para otimizar a gestão de contratos de logística

A gestão de contrato de logística é uma demanda fundamental e que requer boas práticas para que não haja perda […]

Categoria: Inteligência logística e estratégia
Estamos ajudando milhares de profissionais de transporte com nossos conteúdos. Inscreva-se também

Estamos ajudando milhares de profissionais de transporte com nossos conteúdos. Inscreva-se também